Qual Deve Ser A Minha Maior Preocupação Nas Faixas Coloridas Dentro Do Jiu Jitsu?

Qual Deve Ser A Minha Maior Preocupação Nas Faixas Coloridas Dentro Do Jiu Jitsu?

Nesse post vamos falar um pouco da experiência de vida de um de nossos atletas, Alexandre Vieira, faixa preta de Murilo Bustamante na academia Brazilian Top Team. Alexandre nos contou um pouco de tudo aquilo que viveu até se tornar um lutador profissional de Jiu Jitsu e poder viver única e exclusivamente do esporte e para o esporte.

Se engana quem acha que para você ser bem sucedido dentro do Jiu Jitsu você deve desde o início de sua carreira abdicar de trabalho e estudos para dedicar-se somente ao Jiu JItsu. Alexandre disse que hoje em dia existem muitos faixas coloridas que vivem angustiados e ansiosos pois não têm patrocínios e acham que nunca conseguirão se dar bem no Jiu Jitsu se não abrirem mão de todas as suas outras atividades como estudo e trabalho por exemplo para viverem exclusivamente da arte suave.

Alexandre conheceu as artes marciais através da capoeira quando ainda era muito novo. Com apenas 5 anos de idade ele começou a treinar com o Mestre “Peixinho” em um grupo de capoeira que só tinha adultos e ele era a única criança. Três anos mais tarde , com 7 anos surgiu a oportunidade dele começar a treinar Jiu Jitsu, pois ele havia ganhado uma bolsa em uma academia, e assim fez, passando a treinar tanto capoeira quanto Jiu Jitsu. Aos 9 anos e completamente vidrado por lutas Alexandre começou também a treinar Judô e aos 15 conheceu o Kickboxing.

Sem grandes privilégios financeiros desde muito novo, Alexandre começou a trabalhar com 14 anos e trabalhava com qualquer coisa que pintava, inicialmente recolhendo lixo de uma loja próxima algumas vezes na semana e também nos finais de semana com tudo que pintava, chegou a trabalhar como assistente de fotografia, cerimonial em festas, carregando e montando som, como segurança, bartender, dentre outros trabalhos que apareciam.

Ainda na Faixa Azul, ele também começou a ajudar seu professor na academia Strauch nas aulas infantis e mesmo sem a certeza de que no futuro sua vida seria dentro do Jiu JItsu, pois naquela época as chances dentro dos tatames eram ainda menores, ele gostava muito de ajudar seu professor nos tatames.

Quando ingressou na faculdade Alexandre teve que arrumar um trabalho fixo para manter as suas despesas e dessa forma começou a trabalhar em lojas como vendedor. Mesmo não se considerando um bom vendedor e não gostando deste trabalho ele suportava, pois tinha contas a pagar. Ao completar 18 anos Alexandre foi pego pelo serviço Militar obrigatório e como ele também não tinha afinidade com a área ele se via praticamente “obrigado” a trabalhar e ainda conciliava treinos e faculdade.

Durante todo o tempo de sua vida ele permaneceu treinando, mesmo que em alguns momentos a intensidade tenha se reduzido, Vieira sempre continuou treinando e competindo quando tinha tempo e dinheiro. Em uma dessas competições Alexandre estava sem kimono para poder lutar, pois o seu kimono havia rasgado, desse modo ele pediu a um amigo que estava começando com uma fábrica de kimonos um kimono emprestado, o mesmo o emprestou e Alexandre conseguiu lutar muito bem nesse campeonato ganhando sua categoria e indo bem no absoluto, seu amigo então deu um kimono a ele como forma de recompensa pelo desempenho de Alexandre.

O campeonato seguinte Alexandre disputou o Rio Open IBJJF e finalizou todas as suas 4 lutas, seu amigo lhe presenteou com mais 3 kimonos e convidou Alexandre para fazer algumas fotografias para a sua marca. Alexandre conta que esse foi o seu primeiro patrocínio oficial.

Entretanto isso não era o suficiente para Alexandre deixar de trabalhar. Nessa época o serviço obrigatório militar se encerrou e ele precisava trabalhar novamente, então ele voltou a trabalhar como vendedor no comércio.

Como Alexandre já havia treinado outras artes marciais quando mais jovem, vendo o grande crescimento do MMA ele decidiu mudar-se de equipe buscando um time em que ele tivesse treinos mais direcionados ao MMA, assim quando era faixa marrom ele saiu de sua antiga equipe Strauch e foi para a Brazilian Top Team.

Treinando por lá ele voltou a lutar o Rio Open IBJJF e novamente venceu a sua categoria de peso (Pena). Empolgado com a conquista ele ainda comemorava as 4 finalizações no dia quando encontrou com um amigo de 130Kg, o “Bruninho”, Alexandre perguntou se o amigo lutaria o absoluto o mesmo disse que não, porque estava impossibilitado e sugeriu que Alexandre lutasse, de imediato Vieira não estava muito motivado a participar da divisão livre de peso mas com o incentivo do amigo ele foi para o absoluto e o resultado foi surpreendente.

Sem grandes pretensões, Alexandre tinha novamente 4 batalhas para que se sagrasse campeão e foi lutando luta por luta e finalizando seus adversários com seu poderoso Loop Choke, quando percebeu já estava na final e havia ganho o torneio.

A partir deste campeonato as portas do Jiu Jitsu se abriram ainda mais para Alexandre, aparecendo patrocínios e seminários, dessa forma Alexandre percebeu que não precisava migrar-se para o MMA para que pudesse ter uma carreira de sucesso.

Seu treinador, Murilo Bustamante o incentivou a dedicar-se somente ao Jiu Jitsu, tanto como atleta quanto como professor e foi isso que Alexandre fez, começando a dar aulas particulares com seu parceiro de equipe Chico Salgado que foi outro grande incentivador e é considerado um grande irmão para Alexandre.

Desse modo Alexandre segue sua vida até hoje dividindo seu tempo entre treinos e aulas de Jiu Jitsu e Kick Boxing, além de seminários e muitas viagens que o lutador faz por todo Mundo ensinando sua técnica aprendida e desenvolvida ao longo de muitos anos de treino.

A principal lição de Alexandre é que o lutador nunca deixou de correr atrás, e sempre conciliou treino e trabalho e outras tarefas. Sendo assim, se você ainda é um faixa colorida e está desesperado achando que nada vai dar certo, faça como Alexandre, corra atrás dos seus sonhos, treine duro e acredite no seus sonhos!

Alexandre é um finalizador e adora apertar o pescoço de seus adversários... Sua principal finalização dele é o Loop Choke, ou Estrangulamento Rodado. Ele consegue fazer essa posição partindo das mais diversas situações de luta, aplicando esse poderoso golpe de finalização que é praticamente indefensível, por ser um estrangulamento em que o pescoço de seu adversário fica completamente envolvido e retorcido acabando assim com qualquer tipo de reação de defesas do seu oponente.

O melhor disso tudo é que não existe nenhum mistério na execução do Loop Choke, basta você entender a mecânica do golpe buscando sempre a gola de seu adversário e fazendo o giro para que você possa acabar com as lutas rapidamente, assim como Vieira costuma fazer.

O melhor de tudo isso é acabamos de gravar um curso inédito onde esse craque do Jiu Jitsu nos ensina com a maior riqueza de detalhes todos os ajustes, pegadas e armadilhas que sempre utiliza para finalizar seus adversários com esse poderoso golpe!

Adquira esse curso exclusivo e aprenda todos os segredos de um dos estrangulamentos mais eficientes do Jiu Jitsu!

TUDO SOBRE O LOOP CHOKE COM ALEXANDRE VIEIRA (ACESSO ONLINE)

COMPRE AQUI

 

 

Marcadores