Mestre Flavio Behring, O Faixa Vermelha Que Voltou A Ser Faixa Branca No Jiu Jitsu

Mestre Flavio Behring, O Faixa Vermelha Que Voltou A Ser Faixa Branca No Jiu Jitsu

Exemplo de humildade e sabedoria, Flavio é um dos maiores gênios e difusores da arte suave pelo mundo. Foi aluno direto de Hélio Gracie e dedicou mais de 70 anos de sua vida para viver do esporte.

Flavio Behring nasceu no Rio de Janeiro, em 21 de Novembro de 1937, é um dos mais influentes e respeitados professores de Jiu Jitsu brasileiro, sendo hoje um dos poucos a atingir a graduação de faixa vermelha do mundo. Faixa vermelha e nono grau em Jiu Jitsu, ele é um dos grandes formadores de campeões da história do BJJ.

Flavio Behring bebeu direto da fonte, iniciou sua carreira na arte suave aos 10 anos de idade com o Grande Mestre Hélio Gracie. Sua primeira escola foi a academia do criador do Brazilian Jiu Jitsu no Rio de Janeiro, onde Flavio foi ensinado em aulas individuais.

Começou a treinar no ano de 1947. A história do seu primeiro contato com a arte já é de causar inveja: deu uma queda no todo poderoso Helio Gracie. Ele conta que sua primeira aula foi fascinante, mestre Helio com o objetivo de mostrar a eficiência da arte, lhe ensinou uma posição básica que permitiu que o derrubasse, neste momento ficou admirado com o Jiu Jitsu que permitia que uma criança derrubasse um homem.

Seus primeiros treinos aconteciam no quarto da casa do professor Hélio, no Rio de Janeiro. Como era um garoto muito asmático o lugar pequeno e com muitas lonas causavam-lhe desconforto. Por esse motivo, a asma, acabou lhe afastando dos treinos, já que era um menino frágil e com sérios problemas a respiratórios tinha aversão a contato físico.

O bullying

Flavio aos 13 anos, passava por uma situação delicada muito recorrente nos dias atuais dentro das escolas. Um garoto mais velho começou  a atormentá-lo fazendo com que sua vida na escola fosse um grande martírio. Por causa dessa situação extremamente constrangedora começou a perder amigos, perdeu o interesse pelas aulas onde já não queria frequentar mais a escola e também não se alimentava direito mais. Nessa época já era praticante da arte suave, mas era incapaz de reagir às agressões que eram sofridas.

Foi então que algo inesperado aconteceu! Flávio estava dentro da sala de aula, quando de repente Hélio Gracie em pessoa aparece na porta da sala, ele na época era uma figura muito conhecida que estava constantemente em jornais e revistas e todos sabiam que ele era. Naquele momento ele pediu licença e disse que precisava da ajuda de seu “instrutor da academia” que estudava ali, se referindo a Behring. E ainda completou que Flavio não reagia as provocações por ordens expressas suas. Esse episódio foi crucial na formação e desenvolvimento na vida pessoal e social de Flávio Behring.

Ele mesmo denomina a lenda Hélio Gracie como um dos maiores gênios que já conheceu tanto pela arte que ele desenvolveu como a sua habilidade de contornar situações complicadas e orientar seus discípulos.

Dado o potencial que o grande mestre viu em Flavio, ele incumbiu João Alberto Barreto que era um dos melhores treinadores da academia para polir o jovem Behring e fazê-lo o melhor possível. Nessa aula ele começou a dividir os tatames com todos os tops de Jiu Jitsu da época, como Carlson Gracie, Hélio Vígio, Armando Wridt e muitos outros.

A entrega da Faixa Preta

Esta grande honra é para poucos, a faixa preta foi entregue a Flávio pelas mãos do próprio Hélio Gracie, por volta de 1955. Ele tinha mais ou menos 17 anos quando a recebeu do mestre e já era um dos instrutores na academia dele.

A primeira luta

Sua primeira lutou ocorreu quando tinha por volta dos 15 anos, foi contra um faixa preta de judô, o jovem rapaz ficou estarrecido, no inicio da luta o adversário lhe aplicou muitas quedas, no entanto ao estar imobilizado já embaixo do oponente Flávio se lembrou de uma técnica de autodefesa, conseguindo atacar o pescoço,finalizando e botando o judoca para dormir. Depois dessa vitória o lema adotado por Flavio em suas aulas e seminários é “Vence quem sabe finalizar, não basta imobilizar”.

Uma vida de Jiu Jitsu

Em Novembro de 2017 GM Flavio Behring completou seu ciclo na faixa vermelha. Foram 70 anos de Jiu Jitsu junto com seu aniversário de 80 anos. Como não pode ir para a faixa vermelha 10° grau que é somente para os patriarcas da arte suave, ele retornou a faixa branca, em forma de simbolismo indicando seu reinício no Jiu Jitsu como um eterno aprendiz.

Ao amarrar a faixa preta na cintura Behring mostrou um grande ato de humildade. “A importância primordial em qualquer coisa é o constante aprendizado. O aprendizado é vital, nós temos a necessidade permanente de aprender. Já voltei a usar a faixa vermelha, mas a branca estará comigo como um símbolo.”

Na época o ato gerou muitas discussões nas mídias do Jiu Jitsu, ele enfatizava que foi um ato simbólico, já que a faixa branca indica o início. A arte marcial é um ciclo sem fim, a branca indica que estamos em constante aprendizado, que o saber é algo vital e que deve ser constante na vida do praticante seja ele iniciante ou um grande mestre com Flávio Behring.

“O que vale a cor da faixa? Se você é faixa branca ou faixa preta, no fundo é você, não importa a cor. Ser julgado ou reverenciado pela cor da faixa é errado. Ter uma faixa vermelha, como essa que nós portamos, significa uma vida dedicada à evolução da arte. Mas não é isso que nos qualifica, e sim nossa competência.” Estas são palavras do grande Mestre Flavio que é sinônimo de sabedoria e humildade.

Somo eternos aprendizes e nunca devemos nos limitar. O estudo da arte suave deve sempre estar presente na vida de qualquer praticante. Isso é o que o diferencia dos demais.

Por isso o BJJFanatics traz para você vários cursos com as técnicas mais “cabulosas” e eficientes de todos os tempo, que são trazidas por grandes nomes do esporte como Robson Mau Mau com sua Kimura imbatível e Leandro Lo com sua sagacidade e versatilidade.

Não perca tempo e adquira já o seu!!!

A GUARDA LO E A PASSAGEM MATRIX POR LEANDRO LO (ACESSO ONLINE)

COMPRE AQUI

A KIMURA DO “MAU-MAU” - A KIMURA COMO UM ESTILO DE LUTAR JIU-JITSU (ACESSO ONLINE)

COMPRE AQUI

Marcadores